A Importância dos grupos de jovens na Igreja
Categoria: Juventude

Foto: Sandra Felix / Pascom

"Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia." (Mt 5,7) Este foi o tema escolhido pelo Papa Francisco para a Jornada Diocesana da Juventude - 2016!

Bem-aventurado significa 'feliz'; Jesus afirma que a felicidade não está na vingança, mas no amor doado!

Em nossa Paróquia e Diocese, tal tema é vivido e experienciado de diversas maneiras, mas destacamos de forma particular as pastorais, os grupos e os movimentos juvenis, que buscam aprofundar esta característica primordial da identidade de Deus que é a misericórdia, especialmente neste período em que se celebra a Jornada Mundial da Juventude.

Segundo o Papa Francisco, a misericórdia é a melhor palavra que revela o mistério da Santíssima Trindade. Misericórdia - é o ato último e supremo pelo qual Deus vem ao nosso encontro. Misericórdia - é a lei fundamental que mora no coração de cada pessoa quando vê com olhos sinceros os irmãos que encontra no caminho da vida. Misericórdia - é o caminho que une Deus e o homem, porque nos abre o coração à esperança de sermos amados para sempre, apesar da limitação do nosso pecado (Misericordiae Vultus 2).

A palavra misericórdia tem sua origem em duas palavras latinas - miserere (ter compaixão) e cordis (coração) - ou seja, significa sentir o coração. Misericordioso é aquele que é capaz de sentir o coração do outro e sabe entender suas dores e fraquezas. Em outras palavras, misericórdia é uma postura humana diante do outro. É reflexo da graça de Deus que nos move à reconciliação, ao perdão, para que sejamos sinal do amor de Deus pela humanidade.

Assim sendo, nos movimentos e grupos de jovens da Igreja, cada cristão deve reger sua vida a partir da fé assumida pessoalmente e vivida intensamente através de gestos misericordiosos, assim como Jesus fez e ensinou.

Neste sentido, tem papel fundamental o setor juventude, o qual levará os jovens a decidirem a respeito do tipo de pessoa que querem ser, o que devem escolher, o que precisam deixar de lado e o que lhes parece imprescindível, pois o futuro, depende ou é resultado de nossas escolhas.

Quando o jovem encontra o Evangelho, por intermédio das pastorais, dos grupos e movimentos juvenis, acolhe o porquê último de sua vida, pois o mesmo apresenta novidades fascinantes. Diante disto, é papel dos grupos da Igreja oferecerem aos jovens uma lógica diferente daquela que lhes é proposta pela sociedade líquida, que difunde diariamente uma cultura do provisório, do descartável (Guimarães, Almir. Evangelização dos jovens. Revista de Espiritualidade Grande Sinal: Vozes, 2016).

De acordo com o Papa Francisco, "a Igreja precisa de vocês, do entusiasmo, da criatividade e da alegria que lhes caracterizam! Um grande apóstolo do Brasil, o Bem-aventurado José de Anchieta, partiu em missão quando tinha apenas dezenove anos! Sabem qual é o melhor instrumento para evangelizar os jovens? Outro jovem! Este é o caminho a ser percorrido por vocês!"(XXVIII JMJ no RJ em 2013).

Assim sendo, os grupos de jovens da Igreja devem possibilitar o encontro de um mundo diferente por meio dos valores vividos e pregados por Jesus Cristo. Esta é a tarefa primordial da Igreja, pois, somente por essa experiência de proximidade de Cristo é que brotará no coração de cada qual uma alegria interior.

Em nossa Diocese, essa proposta se concretizará através da Jornada Diocesana da Juventude (JDJ) que acontecerá de 29 a 31 de julho de 2016 na Paróquia Sagrada Família e na Catedral São Dimas, na região central. Este evento se caracteriza com o formato da Jornada Mundial da Juventude que será realizada na Cracóvia, Polônia.

Você que é jovem, é o nosso convidado especial para experienciar de forma profunda a misericórdia de Deus, através de muita animação, oração, catequese, peregrinação, adoração, teatro e shows, pois "a Igreja é jovem". "Vinde a Ele e não tenhais medo. Vinde dizer-Lhe do mais fundo dos vossos corações: Jesus, confio em Vós! Levai a chama do amor misericordioso de Cristo aos ambientes da vossa vida diária e até os confins da terra," nos exorta o Papa Francisco.


Ver

A importância da comunicação para a Igreja
Categoria: Igreja em saída

Quando falamos em comunicação supõe-se sempre uma mensagem, um emissor e um receptor. É um processo de transmissão de mensagens, conteúdos e informações a outra(as) pessoa(as). Hoje existem várias maneiras de transmissão dessa mensagem, sobretudo na nossa paróquia a utilização além do púlpito, também do telão, do jornal e da internet (o site e a página do facebook).

Nossa mensagem é a Boa Nova, Boa Notícia (evangelion - grego), o Evangelho, ou seja a chegada do Reino de Deus presente em Nosso Senhor Jesus Cristo. A Igreja em sua missão evangelizadora tem que comunicar Jesus Cristo, Senhor da Vida, nosso Salvador. Portanto, a Igreja é a emissor dessa mensagem e os receptores são os homens e mulheres presentes em toda a face da terra.

"A principal imagem da Igreja é Cristo nos mistérios da encarnação, morte e ressurreição. Sendo assim, a Pastoral da Comunicação tem uma importância muito grande na vida de qualquer paróquia, pois tudo o que é feito e realizado em nossas comunidades tem como objetivo a evangelização"1

"Sabemos que não existe evangelização sem comunicação. Evangelizar implica necessariamente em comunicar. Até mesmo o testemunho de vida como ação evangelizadora é um pressuposto e também forma de comunicação. O ato de testemunhar é comunicar com a própria vivência a mensagem do Evangelho. As pessoas testemunham, porque outras entendem e captam a mensagem que elas transmitem através da sua forma de viver. E as mudanças rápidas das tecnologias de comunicação têm a ver com a vivência da fé cristã, quando pensamos, por exemplo, que estamos imersos numa cibercultura, a cultura virtual, que expressa o surgimento de um novo universal, sem totalidade. Um universo de técnicas, de práticas, de atitudes, de modos de pensamento e de valores que se desenvolvem e que exercem influência sobre a fé e a vivência da religiosidade."2

"Neste contexto, independentemente das tecnologias, a comunicação na Igreja deve ter como objetivo inserir-se no diálogo com os homens e as mulheres de hoje, para compreender as suas expectativas, dúvidas, esperanças".3

"Esta presença é necessária para levar ao encontro com Cristo. A Igreja é capaz disto?, questionou o Papa. "Também aqui no contexto da comunicação, é preciso uma Igreja que consiga levar calor, inflamar o coração. Temos um precioso tesouro para transmitir, um tesouro que gera luz e esperança. E há tanta necessidade disso!", afirmou, alertando para uma cuidadosa e qualificada formação de sacerdotes, religiosos, religiosas e leigos".4

"Queridos amigos, é importante a atenção e a presença da Igreja no mundo da comunicação, para dialogar com o homem de hoje e levá-lo ao encontro de Cristo, na certeza, porém, de que somos meios e que o problema fundamental não é a aquisição de tecnologias sofisticadas, embora necessárias para uma presença atual e válida. Esteja sempre bem claro em nós que o Deus em quem acreditamos, um Deus apaixonado pelo homem, quer manifestar-Se através dos nossos meios, ainda que pobres, porque é Ele que opera, é Ele que transforma, é Ele que salva a vida do homem", ressaltou o Santo Padre."5

Neste sentido fica claro para todos nós a importância da comunicação na vida da Igreja e portanto, também da nossa paróquia. Queremos com a ajuda dos fiéis chegar cada vez mais longe com o anúncio do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo. Deus nos confirme neste bom propósito.

1. Dom Orani João Tempesta, A importância da Comunicação na vida da Igreja.
2. Idem
3. Papa Francisco, A importância da Comunicação para a Igreja.
4. Idem
5. Idem

Em março deste ano foi realizada na paróquia uma pesquisa para selecionar os conteúdos que o paroquiano mais queria ver no nosso novo site. A equipe de desenvolvimento da Pascom - Pastoral da Comunicação - vem trabalhando desde então para oferecer estes conteúdos ao nosso público. Abaixo apresentamos um gráfico que resume os resultados dessa pesquisa. Esperamos cada vez mais nos aproximarmos destes objetivos e fazer do site cada vez mais uma ferramenta em prol da comunidade.


Ver

Arrecadação e Desperdício
Categoria: Dimensão social

Ao pagar seis mil e duzentos reais de impostos, exclamou a irônica mãe de família: -"Eu saberia onde gastá-los sem desperdiça-los. Duvido que o Governo faça o mesmo!"

Semanalmente somos colocados diante de mais um escândalo de dinheiro público desviado de particulares. É o ralo por onde escapam os impostos, porque são muitos... Mas o Governo não fica sem o dinheiro do cafezinho, do pão de queijo, da meia ou da frauda que a mãe comprou para o seu bebê.

Fazemos parte de um país cujo Governo se acostumou a arrecadar e a não devolver. Ele emprega mal e paga mal, porque em alguns casos paga menos que deveria e, em outros, paga em excesso. A presidente da República tem salário menor do que alguns funcionários de segundo escalão. A casuística em geral rima com desperdício...

Certamente seríamos muito mais que a sexta economia do mundo se não fôssemos um dos dez países mais corruptos do planeta. Não é verdadeiro o slogan que "o brasileiro rouba, mas faz". Apenas alguns brasileiros ao redor do poder roubam e em geral não fazem... Na administração há os honestos que gostariam de ser bons prefeitos, bons governadores e bons presidentes e por convicção são incapazes de roubar um alfinete do povo. Mas entram com a melhor das intenções e no sincero desejo de arrecadar o suficiente para poder melhorar a vida dos mais pobres. Aí vêm as pressões dos corruptos e dos grupos de poder que sabem aonde está o dinheiro e como arrancá-lo. Em pouco tempo o politico bem intencionado ou se cala, ou morre, ou renuncia. E mais um bando de bandidos infiltrados na política esfregam às mãos de contentes. Venceram!

Entre eles e os traficantes, a única diferença é o tipo de tráfico. Mas ambos traficam: ou com tóxicos ou com dinheiro desviado do povo. Não sentem o menor remorso: coisa de psicopata. O Brasil é uma nação ferida pela corrupção endêmica. O agente arrecadador lembra o sujeito que, cada vez que senta à mesa, precisa de cinco pratos para saciar seu enorme apetite e nunca está satisfeito. Somos o país do desperdício: desperdiçamos agua, cereais, comida e impostos muito bem recolhidos e muito mal preservados ou aplicados.

Um dia talvez votaremos nas pessoas certas. E elas vencerão a máquina de desviar fundos municipais e nacionais. Mas enquanto não votarem pró reformas vai ser difícil votarmos nas pessoas certas. Não votam por quê? Você sabe?


Ver

+Artigos


  • Entrevista - Frater Crispim Leia...